O que significa pacificar o país? – politicas.info
Artigo

O que significa pacificar o país?

(Brasília - DF, 07/05/2017) Reunião de trabalho com o Ministro-Chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, ANTONIO IMBASSAHY, e o Deputado Federal, Artur Maia

Temer anuncia que é hora de retomar a missão de pacificar a Nação, mas para ele(s) a Nação é o Congresso.

Foto: Beto Barata/PR

Temer assumiu o governo com a promessa de pacificar o país, logo em seu discurso de posse disse: “reitero, como tenho dito ao longo do tempo, que é urgente pacificar a Nação“.

Aquele foi um momento de grande esperança, afinal estávamos saindo de um dos momentos mais difíceis de nossa história recente, o fim do trágico governo Dilma Rousseff. A proposta de fazer as tão sonhadas reformas era tudo o que o mercado queria ouvir. O slogan Ordem e Progresso reacendeu o ideal de termos um país que se respeita, que conhece sua história e quer resgatar o que já teve de bom. A promessa de pacificar a Nação foi vaga, mas no contexto que foi aplicada foi bem recebida.

Hoje ouvi um correligionário de Temer dizer no rádio que é hora de retomar a pacificação do país, e que “pacificar” significa trazer paz ao Congresso para que a política volte a correr normalmente em Brasília.

Agora eu entendi.

Pra classe política que vive na bolha chamada Congresso Nacional, o Brasil é a Esplanada e o povo brasileiro são os congressistas. Se eles estiverem em paz, a sociedade está em paz.

Infame e burro.

Uma nação é o seu povo, e o povo é formado por uma sociedade que tem sua essência no lar, o chamado “núcleo familiar”. É lá que, durante o almoço de domingo o assunto é a manifestação na Paulista, o roubo milionário do Cabral, o impeachment. É na família que, muitas vezes, quando a mãe começa a falar de política o filho solta “ah não mãe, vamo falar de outra coisa!”. É lá que o pai está desempregado e a mãe está bancando a casa. É lá que a paz começou a ser afetada e precisa, urgentemente, ser restaurada.

A falta de sintonia dos políticos com a sociedade levou o presidente a comemorar o fim da recessão. A pindaíba acabou, só esqueceram de avisar a população. Em um país onde o desemprego chegou a 14 milhões de pessoas, ouvir o presidente comemorar o fim da recessão é um tapa na cara. Está em festa um goverorçamento fiscal de 2017 está projetado para terminar com um déficit de R$ 139 bilhões.

O orçamento familiar também está no negativo. Para um pai de família desempregado, fechar o ano com dois ou três meses de aluguel atrasado é um prejuízo muito maior do que o déficit bilionário de um governo perdulário. Não dá pra ter paz quando as contas de casa não fecham.

Os governantes precisariam se reconectar imediatamente com os governados. Digo “precisariam” porque duvido que isso aconteça. Não tenho embasamento pra acreditar nesse resgate. E duvido que ele vá acontecer pois o governo Temer está condenado a se arrastar até dezembro de 2018, isso se a população não for à Brasília e puxar o presidente pelo braço antes. Não é impossível, na verdade é bem provável. Já aconteceu várias vezes em nossa história.

Está curtindo o Politicas.Info? Gostaria de ajudar a manter este projeto no ar? Basta clicar aqui e fazer uma doação de qualquer valor.

Clique para comentar

Envie-nos uma pauta, esclareça sua dúvida ou corrija/acrescente informações:

Últimas Notícias

Liberdade, Capitalismo & Democracia.

Copyright © 2015 - ÁpyusCom

Para o Início