Os transgênicos são saudáveis? 109 vencedores do Nobel garantem: sim – politicas.info
Mundo

Os transgênicos são saudáveis? 109 vencedores do Nobel garantem: sim

Transgênicos

Uma centena de premiados cientistas defende que o Greenpeace entende nada de transgênicos

Screenshot: YouTube.

Em 2008, Al Gore garantiu que, em no máximo 5 anos, todo o Pólo Norte seria consumido pelo aquecimento global. O prazo já se esgotou há 4 verões e a calota polar continua lá, vivendo, inclusive, ciclos de considerável expansão. A curiosidade serve de exemplo: ambientalistas podem até ter razão, mas é preciso conter os exageros. Em meados de 2016, justo um grupo de renomados cientistas iniciou uma campanha para que o Greenpeace deixasse os transgênicos em paz.

Quão renomados? Ao menos 109 deles foram laureados com algum Prêmio Nobel. Os signatários da carta acusam a ONG ambientalista de deturpar “os riscos, benefícios e impactos” dos organismos geneticamente modificados. O texto chega a tratar a ação dos ativistas como “crime contra a Humanidade”, uma vez que priva populações carentes do acesso a alimentos melhorados pela biotecnologia, “em particular ao arroz dourado” – o produto pode ser a solução para evitar a morte de 2 milhões de pessoas com deficiência em vitamina A, além da cegueira de outras 500 mil, anualmente.

Richard Roberts, diretor da New England Biolabs, foi duro em entrevista ao Washington Post:

“Nós somos cientistas. Nós entendemos a lógica da ciência. É fácil perceber que o que o Greenpeace está fazendo é danoso e anticientífico. O Greenpeace inicialmente, depois alguns de seus aliados, deliberadamente estão assustando as pessoas. É uma forma de eles levantarem dinheiro para sua causa.”

Ainda segundo a carta, e conforme reportado por O Globo, não há qualquer caso confirmado de danos à saúde de humanos e animais por uso de transgênico. E mesmo os impactos ambientais mostram-se menos danosos que outras práticas em voga. “Quantas pessoas pobres do mundo deverão morrer antes de considerarmos isso um crime contra a humanidade?”

O Greenpeace, claro, discordou de tudo, e defendeu que a desnutrição só será combatida pelo “acesso a uma dieta diversificada e saudável“. Só não lembrou de explicar como ou quando essa dieta diversificada e saudável se tornará acessível às populações mais carentes do planeta. Até lá, a ONG continuará se financiando com o medo que planta junto à opinião pública.

Fonte: O Globo

Clique para comentar

Envie-nos uma pauta, esclareça sua dúvida ou corrija/acrescente informações:

Liberdade, Capitalismo & Democracia.

Copyright © 2015 - ÁpyusCom

Para o Início