A maldição indígena que teria matado sete presidentes americanos no exercício do mandato – politicas.info
Mundo

A maldição indígena que teria matado sete presidentes americanos no exercício do mandato

Por 120 anos, a maldição de Tippecanoe teria encurtado a vida de sete presidentes americanos

Foto: Walt Cisco, Dallas Morning News

Em 1809, o futuro presidente William Harrison, ainda na condição de governador do território de Indiana, usou táticas questionáveis em negociação com os índios Shawnee, resultando num conflito que viveria o auge dois anos depois na batalha de Tippecanoe. Os nativos eram liderados por Tecumseh, cujo irmão Tenskwatawa era conhecido como “o Profeta”.

Em 1836, quando Harrison disputou o cargo na Casa Branca pela primeira vez, Tenskwatawa profetizou: seu adversário não ganharia naquele ano, mas em 1840. Contudo, morreria no exercício do mandato. “E, depois dele, todo o Grande Chefe escolhido a cada 20 anos, daí em diante. E quando um morrer, todos recordarão a morte de nosso povo“.

De fato, Harrison morreria de pneumonia apenas um mês após assumir o cargo. E, por 120 anos, a “maldição” surtiria efeito: Abraham Lincoln (eleito em 1860), James A. Garfield (em 1880) e William McKinley (1900) seriam assassinados. Warren G. Harding (1920) e Franklin D. Roosevelt (1940) viriam a falecer por problemas de saúde. E todo mundo lembra o que aconteceu com John F. Kennedy, escolhido em 1960 para ser o 35º presidente americano.

A escrita quase se repete com Ronald Reagan, vítima de um atentado em 1981. Mas, mesmo com 70 anos, o republicano sobreviveu à bala que perfurou-lhe o pulmão. Quanto a George W. Bush, vitorioso em 2000, foi alvo de uma granada que não chegou a explodir. Mas há quem veja num engasgo com pretzel, ou no arremesso de um sapato, uma tentativa de a maldição de Tippecanoe mostrar-se ainda eficiente.

Em 1980, um estudo teria concluído que, apesar de a profecia ser de conhecimento público, não há registros oficiais das palavras de Tenskwatawa, dando a tudo um ar de lenda urbana. O que não impediu Jimmy Carter, que concorria à reeleição, de ter que responder à imprensa: “Eu não tenho medo. Se eu soubesse que isso iria acontecer, eu seguiria adiante e seria presidente. E daria o meu melhor até meu último dia“.

Mas Carter seria derrotado naquela disputa. Coincidência ou não, segue vivo até hoje, aos 93 anos.

Fonte: Snopes

Clique para comentar

Envie-nos uma pauta, esclareça sua dúvida ou corrija/acrescente informações:

Mais Lidas

Para o Início