Por que a lei não valeria para o mais forte? A cada 5 dias, a Justiça cassa um prefeito – politicas.info
Brasil

Por que a lei não valeria para o mais forte? A cada 5 dias, a Justiça cassa um prefeito

Tribunal Superior Eleitoral

Não é nada raro: a cada cinco dias, um prefeito é cassado no Brasil

Brasília - Imagem: Alexandre Sena

Dentre as críticas que faziam ao o impeachment de Dilma Rousseff, e que reprisam contra a cassação da chapa que a reelegeu e findou em Presidência da República para Michel Temer, destaca-se a instabilidade política resultante de mudanças tão radicais. Mas a interrupção de mandatos de líderes do executivo é bem mais rotineira do que desconfia a vã filosofia governista.

Um levantamento publicado pelo G1 em 2016 contabilizava 229 gestores cassados pelo TSE desde a eleição de 2012. Basicamente, a Justiça eleitoral vinha interrompendo o trabalho de um prefeito por semana. Deste total, 93 ainda permaneciam no cargo graças a recursos. Apenas Acre e Roraima não viram qualquer caso do tipo, mas tratam-se de estados que somam parcos 37 municípios.

O resultado, no entanto, é ainda maior, já que o estudo não levou em conta  prefeitos retirados do cargo pela Justiça comum ou ainda pelas Câmaras Municipais. Nem mesmo os que foram cassados e conseguiram reverter definitivamente a decisão em instâncias superiores.

Os motivos para tanta cassação? De uma forma geral, além da compra de votos, o abuso de poder econômico durante a campanha. Restando, então, a pergunta: se “abuso de poder econômico durante a campanha” foi basicamente o recurso mais explorado por Dilma para se reeleger, por que a chapa que garantiu-lhe a vitória não deveria ser atingida pela mesma lei?

Está curtindo o Politicas.Info? Gostaria de ajudar a manter este projeto no ar? Basta clicar aqui e fazer uma doação de qualquer valor.

Fonte: G1

Clique para comentar

Envie-nos uma pauta, esclareça sua dúvida ou corrija/acrescente informações:

Liberdade, Capitalismo & Democracia.

Copyright © 2015 - ÁpyusCom

Para o Início