Mesmo após admitir que roubava para Cunha, ex-servidor recebia salário da Caixa – politicas.info
Brasil

Mesmo após admitir que roubava para Cunha, ex-servidor recebia salário da Caixa

Na foto Eduardo Cunha (PMDB-RJ) participa de Reunião do Conselho de Ética da Câmara.

Ex-servidor que admitiu roubar para Cunha continuou recebendo da Caixa mesmo após a delação

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Fábio Cleto esteve bem recentemente no noticiário confessando que dez empresas pagaram-lhe propina quando exercia a função de vice-presidente de fundos de governo e loterias da Caixa Econômica Federal. Os valores confessados totalizaram R$ 7,3 milhões, mas essa quantia representava apenas 8% do esquema, com R$ 90 milhões caindo nas contas de Eduardo Cunha. Os números foram entregues à Lava Jato por intermédio de uma delação premiada acordada em 12 de abril.

Agora, O Globo informa que Cleto, em 28 de janeiro passado, conquistou uma almejada “quarentena”, ou seja, continuaria por seis meses recebendo os salários integrais do cargo do qual foi exonerado em 10 de dezembro de 2015, ainda no governo Dilma Rousseff. Ou seja… Até junho deste ano, o corrupto que desviava milhões da Caixa em troca da liberação de recursos do Fundo de Investimento do FGTS vinha sendo bancado pelos cofres públicos que ele mesmo admitira lesar.

O banco evitou responder ao jornal se pretendia acionar o delator para reaver o benefício pago ao criminoso.

O Brasil não é para amadores.

Está curtindo o Politicas.Info? Gostaria de ajudar a manter este projeto no ar? Basta clicar aqui e fazer uma doação de qualquer valor.

Fonte: O Globo

Liberdade, Capitalismo & Democracia.

Copyright © 2015 - ÁpyusCom

Para o Início