Dono da JBS usou lei sancionada por Dilma para repatriar propina reservada a Dilma e Lula – politicas.info
Brasil

Dono da JBS usou lei sancionada por Dilma para repatriar propina reservada a Dilma e Lula

A Lei de Repatriação serviu para que Joesley Batista trouxesse de volta ao Brasil propina reserva a Lula e Dilma

Foto: Ricardo Stuckert

Com justiça, muito se grita contra o que o governo Temer faz para sufocar a Lava Jato, mas duas das maiores vitórias dos investigados foram colecionadas ainda pelo governo Dilma: a Medida Provisória que acelerava acordos de leniência, e a lei de repatriação. Desta, os críticos diziam que, na prática, transformava a Receita Federal numa máquina de lavar dinheiro sujo, afinal, permitia a milionários que escondiam valores no exterior a “legalização” dos recursos mediante recolhimento de impostos e pagamento de uma multa que não necessariamente ressarcia o país do dano causado.

Menos de dois anos depois já tem sido possível confirmar que – mais uma vez – os histéricos tinham razão. No episódio mais recente, o Antagonista levantou em primeira mão detalhes a respeito da delação da JBS. E soube que Joesley Batista usou a lei sancionada por Dilma para repatriar os valores que havia reservado para uso indevido dela e de seu antecessor, Lula.

De US$ 150 milhões depositados como propina para Guido Mantega, por volta de US$ 80 milhões fizeram uso da referida legislação. Tudo, claro, foi mascarado com a utilização de offshores no banco Julius Baer. E os valores devidos foram “compensados” por meio de pagamentos em território brasileiro à campanha que reelegeu Dilma em 2014.

Fonte: O Antagonista

Clique para comentar

Envie-nos uma pauta, esclareça sua dúvida ou corrija/acrescente informações:

Mais Lidas

Para o Início