Após 10 anos de “desarmamento”, vendas de armas cresceram 145% no país – politicas.info
Brasil

Após 10 anos de “desarmamento”, vendas de armas cresceram 145% no país

Mesmo com desarmamento, Brasil tem taxa de homicídio 7 vezes pior que a dos EUA

Foto: Marcin Wichary

Em meados de 2016, motivada pela esquerda americana, que evitava falar em terrorismo islâmico no atentado de Orlando, a imprensa brasileira se deu a revisitar uma pauta pela qual milita há tempos: “desarmamento”. O Globo se permitiu até mesmo ressuscitar um estudo de 2014 só para colher opiniões unilaterais a respeito o tema. E nem adiantou mostrar que os resultados brasileiros eram quase 7 vezes piores que os dos Estados Unidos. Para o entrevistado, só deveria ser permitido comparar o resultado com quem possuía dados ainda melhores.

Mas Felippe Angeli soltou uma informação que pode muito bem ser entendida como um – sem trocadilho – tiro no pé: segundo o coordenador de “advocacy” do Instituto Sou da Paz, em 2013, no décimo ano de vigência do Estatuto do Desarmamento, foram comercializadas 74.866 armas de fogo no Brasil, contra 30.515 do primeiro ano. Em outras palavras, uma década de “desarmamento” depois, as vendas cresceram 145% no país.

Esse crescimento já se mostrou ainda mais intenso. Em 2011, quando mais de 90 mil armas foram vendidas, equivalia a um aumento de quase 200%. Restando, então, a pergunta: o Estatuto do Desarmamento serviu para quê?

Fonte: O Globo

Clique para comentar

Envie-nos uma pauta, esclareça sua dúvida ou corrija/acrescente informações:

Mais Lidas

Para o Início