Apesar de todo o barulho, a Odebrecht não confessou todos os pecados que cometera – politicas.info
Brasil

Apesar de todo o barulho, a Odebrecht não confessou todos os pecados que cometera

No foro privilegiado, a Lava Jato ignorou uma das passagens mais vergonhosas do governo Dilma

Foto: Cicero Rodrigues/ World Economic Forum (15/04/2009)

O Brasil ainda tenta anotar a placa do caminhão que o atropelou quando a delação da Odebrecht tornou-se pública. As quase 300 horas de depoimento renderam milhares de vídeos, centenas de envolvidos e dezenas de inquéritos contra as autoridades mais poderosas da nação. Sem sombra de dúvidas, uma vitória histórica da Lava Jato. Mas, infelizmente, não foi tudo.

Porque estrategicamente um poder foi poupado. E um poder não oficial foi apenas atingido de raspão. Pois a operação usa a imprensa para que a Justiça sinta-se confortável junto à opinião pública na hora de punir os criminosos mais poderosos. Em outras palavras, Justiça e imprensa não podem ser tratadas por Deltan Dallagnol e Rodrigo Janot como inimigas, mas aliadas.

A coluna de Vera Magalhães confirma a primeira ausência. Quatro fontes garantem que faltou ao Ministério Público Federal se debruçar sobre a tentativa de sabotagem promovida por Marcelo Odebrecht junto a Dilma Rousseff, quando a petista ainda comandava a nação e nomeou Marcelo Navarro para o STJ com o objetivo de inaugurar uma fábrica de habeas corpus que abreviaria a Lava Jato. Mas os promotores foram mais ágeis e derrotaram o plano maquiavélico.

A outra falta parece escancarada pelo questionamento de Emílio Odebrecht. Por que a imprensa não denunciou antes o esquema? Porque, direta ou indiretamente, se beneficiava dele.

Fonte: Estadão

Clique para comentar

Envie-nos uma pauta, esclareça sua dúvida ou corrija/acrescente informações:

Para o Início