A Receita já investigou se campeã do carnaval carioca lavava propina – politicas.info
Brasil

A Receita já investigou se campeã do carnaval carioca lavava propina

Caso do tesoureiro do PT não é a primeira suspeita com escola de samba e lavagem de propina

Foto: Carnaval Studios

A Lava Jato descobriu que Paulo Ferreira, ex-tesoureiro do PT, lavou propina desviada do Petrolão por intermédio de familiares, blogs e uma escola de samba, a Estado Maior da Restinga, mesmo tendo sido ele homenageado por um samba-enredo da Praiana, agremiação também gaúcha.

Não é a primeira vez que uma escola de samba é acusada de lavar dinheiro para políticos corruptos. Em 2015, a Receita Federal prometeu investigar uma doação de R$ 10 milhões do governo de Teodoro Obiang à Beija-Flor de Nilópolis, que sairia vencedora do carnaval carioca justamente homenageando a Guiné Equatorial, nação comandada pelo ditador.

Também não era a primeira vez que o minúsculo país africano se destacava no noticiário nacional. Em 2013, a Guiné Equatorial surgira como uma das beneficiadas pelo perdão da dívida concedido pelo governo Dilma Rousseff. Documentos secretos revelariam que, naquele mesmo ano, Lula tinha viajado à África para fazer lobby em benefício das empreiteiras brasileiras. Para tanto, usou um jato fretado pela Odebrecht e contou com a ajuda do Itamaraty.

A delação assinada por Marcelo Odebrecht deve ser conhecida em breve. E o caso poderá ser melhor explicado ao Brasil. Inclusive, se há alguma relação com a escola vencedora do carnaval carioca de 2015.

Fonte: O Globo

Mais Lidas

Para o Início