A delação da Odebrecht atingiu mais da metade dos senadores do PSDB – politicas.info
Brasil

A delação da Odebrecht atingiu mais da metade dos senadores do PSDB

Brasília/DF, 09.11.2016 - Aécio Neves em pronunciamento no Senado. Imagem por: George Gianni

E isso abre caminho para João Doria alçar voos maiores

Foto: George Gianni

Abril começou com o PSDB fazendo cálculos para 2018. Nas contas da sigla, o partido fecharia a próxima eleição com uma bancada duas vezes maior que a do seu maior adversário, o PT. Liberada a delação da Odebrecht, contudo, a Folha noticia que “líderes tucanos temem que o partido seja dizimado“.

Sim, é um partido muito ruim de conta. Mas há sentido no temor. E o próprio texto do jornal paulistano explica a gravidade dos ferimentos proporcionados por mais esse tiro da operação Lava Jato. Pois sete dos onze senadores do partido viraram manchete nas últimas 48 horas em decorrência do que a Odebrecht entregou aos procuradores.

A saber:

  1. Aécio Neves da Cunha (PSDB-MG)
  2. Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
  3. Dalírio José Beber (PSDB-SC)
  4. José Serra (PSDB-SP)
  5. Eduardo Amorim (PSDB-SE)
  6. Ricardo Ferraço (PSDB-ES)
  7. Antônio Anastasia (PSDB-MG)

A conta nem leva em consideração que Aloysio Nunes (PSDB-SP) está licenciado do cargo para comandar o Ministério das Relações Exteriores do governo Temer, ou seriam 8 de 12 parlamentares. Só se salvaram Ataídes Oliveira (PSDB-TO), Flexa Ribeiro (PSDB-PA), Paulo Bauer (PSDB-SC) e Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Por situações como essa, a Lava Jato vem se convertendo na principal cabo eleitoral de João Doria para uma corrida presidencial.

Fonte: Folha de S.Paulo

Clique para comentar

Envie-nos uma pauta, esclareça sua dúvida ou corrija/acrescente informações:

Liberdade, Capitalismo & Democracia.

Copyright © 2015 - ÁpyusCom

Para o Início