Em vídeo, direto de 1987, Hebe Camargo responde por que defende os homossexuais – politicas.info
Acervo

Em vídeo, direto de 1987, Hebe Camargo responde por que defende os homossexuais

Apresentadora de televisão Brasileira Hebe Camargo

Por ter declarado voto em Paulo Maluf, implicaram com Hebe Camargo e a tacharam de “malufista”

Foto: Sergio Savarese

Por mais que seja descrita como “a década perdida”, ao menos para o Brasil, os anos 1980 foram politicamente intensos. Mesmo em 1987, quando não houve qualquer eleição relevante. Não sobrou nem para Hebe Camargo, que havia declarado voto em Paulo Maluf e, por isso, foi tachada de “malufista”.

A pressão vinha de todos os lados. Em passagem pelo Roda Viva, a apresentadora precisou explicar até o porquê de evitar falar “bumbum”, o termo politicamente correto. Pergunta mais incômoda, entretanto, veio de telespectadores questionando a defesa dos homossexuais encampada por ela. A resposta veio com uma nova questão: “Por que não defender?”

Na sequência, Hebe defendeu uma tese encampada até hoje, a de que homossexuais já nascem homossexuais e, por isso, merecem ser aceitos sem ressalvas pela sociedade. O que nem precisa ser verdade, afinal, se alguém em algum momento específico da vida vê vantagem em passar a relacionar-se com indivíduos do mesmo gênero, isso não deveria ser da conta de ninguém. Mas é o argumento que tenta conter os críticos, sempre temerosos de algum tipo de influência na formação de seus filhos.

Três décadas se passaram desde aquela edição do programa. Provando que a luta é bem mais antiga do que o discurso da atual geração faz parecer. Ela continua, é verdade, Mas já coleciona boas conquistas. E há de chegar o dia em que será desnecessária.

Fonte: Roda Viva

Clique para comentar

Envie-nos uma pauta, esclareça sua dúvida ou corrija/acrescente informações:

Liberdade, Capitalismo & Democracia.

Copyright © 2015 - ÁpyusCom

Para o Início