Antes de entrar para o STF, Mendes cobrou do Supremo um contato mais moderado com a imprensa – politicas.info
Acervo

Antes de entrar para o STF, Mendes cobrou do Supremo um contato mais moderado com a imprensa

O Instituto Legislativo Brasileiro (ILB) promove aula inaugural para marcar o início do ano letivo dos cursos de pós-graduação lato sensu, com palestra do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes sobre o tema “Reforma política: novos rumos da democracia brasileira”.

Catorze anos depois, foi criticado indiretamente por ser justo ele um dos que mais falam fora dos autos

16.04.2015 - Imagem por: Edilson Rodrigues

Gilmar Mendes já foi advogado-geral da União. Mais do que isso, foi um advogado-geral da União que cobrava discrição dos membros do Supremo Tribunal Federal. Está tudo registrado em uma breve nota da coluna Holofote, publicada na Veja de 19 de junho de 2002. Nela, o atual presidente do TSE surge autor de uma carta ao STF na qual pedia para que os senhores juízes mantivessem um relação mais contida com a imprensa.

Cliquem na imagem para acesso à notícia original.

Catorze anos após a nota acima, quando o STF vergonhosamente manteve Renan Calheiros na Presidência do Senado, retirando-lhe apenas o direito de assumir eventualmente a Presidência da República, o finado Teori Zavascki aproveitou o voto para enviar uma clara indireta a Gilmar Mendes, lembrando-lhe que a Lei da Magistratura proíbe críticas de juízes a atos de seus pares. Fazia referência não só à polêmica fala de Mendes, na qual chegou a sugerir o impeachment de Marco Aurélio Mello, mas a toda uma relação questionável daqueles magistrados com a imprensa – em especial, a do ex-advogado-geral da União.

E pensar que Marco Aurélio Mello recebeu Mendes tão bem, com direito a partidas de tênis e tudo mais.

Fonte: Veja

Clique para comentar

Envie-nos uma pauta, esclareça sua dúvida ou corrija/acrescente informações:

Mais Lidas

Liberdade, Capitalismo & Democracia.

Copyright © 2015 - ÁpyusCom

Para o Início